Avaliação do conhecimento explícito da língua: verbos de comando de provas do Ensino Básico / Pruebas de educación básica para evaluar el conocimiento explícito de la lengua: análisis compositivo y curricular

Palabras clave: conhecimento explícito da língua, avaliaçao, aprendizagem, elaboraçao de testes

Resumen

Este artículo presenta una investigación sobre las pruebas de evaluación de conocimientos gramaticales aplicadas por los maestros a alumnos de 7º, 8º y 9º años de escolaridad. Después de la constitución del corpus, se analizaron las tareas solicitadas a los alumnos para identificar los contenidos y los procesos gramaticales evaluados. Los resultados permiten dos hallazgos: (i) las operaciones involucradas en la ejecución de la tarea solicitada por el verbo de comando están restringidas a un conjunto limitado donde se destacan los verbos con una alta frecuencia de uso, como clasificar, indicar e identificar; (ii) los elementos que detallan las tareas (verbos de comando y contenido evaluado) tienen una uniformidad clara durante los tres años (7, 8, 9); (iii) los ítems de evaluación revelan una clara imitación con los objetivos curriculares de la disciplina del Portugués. Los resultados obtenidos permiten concluir que, en el desarrollo del conocimiento lingüístico explícito, existe un isomorfismo entre los objetivos, las pruebas de evaluación externa y las pruebas utilizadas por los profesores en el uso de elementos de evaluación de aprendizaje, que valoran un conjunto muy restringido de operaciones elementales.

 

Abstract

This article presents a research on the tests evaluating grammatical knowledge in Portuguese as a mother tongue applied by teachers to students from three years of schooling (7th, 8th, and 9th grades) to identify the assessed contents and grammatical processes. Once the corpus was established, and the tasks requested from the students were analyzed, the results show three observations: (i) the operations involved in the execution of the task requested by the command verb are restricted to a closed set of verbs with a high frequency of use such as classifying, indicating and identifying; (ii) the items that enunciate the tasks (command verbs and assessed content) present, over the three years (7th, 8th, 9th), a clear standardization; (iii) the assessment items reveal a clear mimicry of the curricular goals of the Portuguese subject. The results obtained allow the conclusion that, in the development of explicit knowledge of the language (grammar), there is an isomorphism between the goals, the external assessment tests and the tests used by teachers in the use of learning assessment items, which value a very limited set of elementary operations.


Keywords: explicit knowledge of the language, assessment of learning, test construction.

 

Citas

Anderson, L., Krathwohl D., Airasian P., Cruikshank K., Mayer R., Pintrich P., Wittrock, M. (2014). A taxonomy for learning, teaching, and assessing: a revision of Bloom’s. Essex: Pearson Education.

Barbosa, J. y Neves, A. (2006). Fantasmas, Mitos e Ritos da Avaliação das Aprendizagens. Revista Portuguesa de Pedagogia, 40 (3), 219-235.

Buescu, H., Maia, L., Silva, M. G., y Rocha, M. R. (2014). Programa e metas curriculares de Português do ensino secundário. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação.

Buescu, H., Morais, J., Rocha, M. R., y Magalhães, V. (2015). Programa e metas curriculares de Português do ensino básico. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação.

Costa, A.L. (2020). Grammar Teaching 91-19: An analysis of the Portuguese curricula. L1-Educational Studies in Language and Literature, 20, 1-31. https://doi.org/10.17239/L1ESLL-2020.20.03.03

Direção Geral de Educação (2008). Dicionário terminológico para consulta em linha (DT). Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. Recuperado de: http://dt.dge.mec.pt/

Direção Geral de Educação (2018a). Aprendizagens essenciais do ensino básico. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. Recuperado de: https://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essenciais-ensino-basico

Direção Geral de Educação (2018b). Aprendizagens essenciais do ensino secundário. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. Recuperado de: http://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essen-ciais-ensino-secundario

Duarte, I. M; Rodrigues, S. V.; Machado, A.; Guedes, M. M., y Toriz, H. (2016). A escrita escolar para expressão de conhecimentos e aprendizagens: um caso em estudo. V Simpósio Internacional em Ensino de Língua Portuguesa / V Fórum Ibero-Americano de Literacias. Atas (pp. 219-232). Braga: Universidade do Minho, CIED.

Fernandes, D. (2015). Prefácio. In A. C. Neves y A. L. Ferreira, Avaliar é preciso? Guia prático para professores e formadores (pp. 13-15). Lisboa: Guerra & Paz.

Fernandes, D. (2019). Avaliações externas e aprendizagens dos alunos: uma reflexão crítica. Linhas Críticas, 25, 644-660.

Neves, A. C., y Ferreira, A. L. (2015). Avaliar é preciso? Guia prático para professores e formadores. Lisboa: Guerra & Paz.

Olave, G. (2011). La gramática al tablero: ejercicios de gramática en los manuales escolares de básica secundaria, Encuentros, 2, 37-49.

Pacheco, J. A. (2001). Currículo: teoria e praxis (2.ª ed.) Porto: Porto Editora.

Peralta, H. (2002). Como avaliar competência(s)? Algumas considerações. In P. Abrantes y F. Araújo (Coord.), Reorganização curricular do ensino básico. Avaliação das aprendizagens – das concepções às práticas (pp. 25-34). Lisboa: Ministério da Educação/Departamento da Educação Básica.

Rei, J. E. (2004). O ensino da gramática no liceu, através da análise dos exames nacionais, dos anos 30 aos anos 90 do século XX, em Portugal. In Aurora Marco et al. (Eds.), Actas del VII Congreso Internacional de la Sociedad Española de Didáctica de la Lengua y la Literatura (pp. 475-485). A Coruña: Deputation Provincial de A Coruña.

Resnick, L. B. (1987). Education and learning to think. Washington, DC: The National Academy Press.

Roldão, M. C. (1999). Os professores e a gestão do currículo. Perspetivas e práticas em análise. Porto: Porto Editora.

Roldão, M. C., y Almeida, S. (2018). Conhecimento e currículo: como se seleciona o conhecimento “relevante”? In J. A. Pacheco, M. C. Roldão y M. T. Estrela (Orgs.), Estudos de currículo (pp. 89-127). Porto: Porto Editora.

Rio-Torto, G. (2011). Avaliação em língua portuguesa nos exames nacionais de 9.º ano. In M. T. Mingocho, M. F. Gil y M. E. Castendo (Eds.), Miscelânea de estudos em homenagem a Maria Manuela Gouveia Delille (pp. 683-718). Vol. I. Coimbra: Edições Minerva Coimbra.

Rodrigues, S. (2017). O ensino do português nas primeiras décadas do século XXI. In A. Canelas et al. (Eds.), Lei de Bases do Sistema Educativo. Balanço e Prospetiva (pp. 247-291). Vol. II. Lisboa: Conselho Nacional de Educação.

Rodrigues, S. V. (2019). Conhecimento gramatical avaliado à saída da escolaridade obrigatória: uma análise de exames nacionais do ensino secundário. Revista da Associação Portuguesa de Linguística (6), 41-64. DOI: https://doi.org/10.26334/2183-9077/rapln6ano2019a5

Rodrigues, S. V.; Duarte, I. M., y Silvano, P. (2018). O verbo Explicar em enunciados de testes de avaliação do ensino básico: estudo de valores semânticos e pragmáticos. In J. Veloso, J. Guimarães, P. Silvano y R. Silva (Eds.), A linguística em diálogo. Volume comemorativo dos 40 anos do Centro de Linguística da Universidade do Porto (pp. 361-394). Porto: FLUP/CLUP.

Silva, A. C. (2009). A natureza e os fins do conhecimento gramatical: análise de provas de exame de Português, Diacrítica – Ciências da Linguagem, 23 (1), 171-203.

Silva, A. C., y Sousa, J. E. (2009). Sobre a avaliação do conhecimento gramatical escolar: um estudo dos exames nacionais de português de 2009. In J. C. Morgado, M. P. Alves, S. S. Pillotto y M. I. Cunha (Eds), Aprender ao longo da vida – contributos, perspectivas e questionamentos do currículo e da avaliação (Actas do 2º Congresso Internacional sobre Avaliação em Educação) (pp. 3986-3999). Braga: Centro de Investigação em Educação, Instituto de Educação e Universidade do Minho.

Silva, A. C., y Silva, A. P. (2011). A avaliação do conhecimento gramatical “oficial”: estudo dos exames nacionais de Português de 2010, Atas do 2.º Congresso Internacional sobre Avaliação em Educação (pp. 1352-1364). Universidade do Minho, Instituto de Educação.

Tapadas, P. J. (2016). Qual o histórico de itens gramaticais? Seminário “Avaliar o conhecimento gramatical”. Faculdade de Letras de Universidade de Lisboa. 15 de fevereiro de 2016.

Vernet, F. (s/d). Operations mentales effectuées par les élèves. Recuperado de http://www.ac-grenoble.fr/ien.g4/IMG/pdf_pdf_Grille_analyse_consignes.pdf

Publicado
2022-02-04
Cómo citar
Rodrigues, S., & Duarte, I. (2022). Avaliação do conhecimento explícito da língua: verbos de comando de provas do Ensino Básico / Pruebas de educación básica para evaluar el conocimiento explícito de la lengua: análisis compositivo y curricular. TEJUELO. Didáctica De La Lengua Y La Literatura. Educación / TEJUELO. Didactics of Language and Literature. Education, 35(2), 137-172. https://doi.org/10.17398/1988-8430.35.2.137